Você conhece os bairros de Lisboa?

     

Próxima Anterior
IMG_6094 
IMG_6114 

IMG_6113 

IMG_6111 

 IMG_6095 
Próxima Anterior

Bairros de Lisboa ? A organização Administrativa do Concelho de Lisboa é estabelecida através de Juntas de Freguesias ( com origens, algumas destas, em divisões territoriais de antigas Paróquias das Igrejas Católicas). Os lisboetas, em algumas freguesias, atribuem nomes de bairros( Bairro Alto, Bairro de São Miguel, Baixa, Alfama, etc) . Em 2012, houve alterações de diversas regiões. 

Quem fica atento aos nomes de praças e ruas, muitas vezes encontra em Lisboa, nomes conhecidos para nós brasileiros, como nas fotos acima nas Freguesia do Areeiro (antiga São João de Deus) e Alvalade.

AJUDA

AJUDA

A freguesia da Ajuda situa-se entre a praia de Belém e a serra de Monsanto. Era um local pouco propício à agricultura. Em 1762, a Ajuda passou a fazer parte do Concelho de Lisboa, deixando desta forma de ser uma localidade suburbana. A freguesia era na altura um aglomerado de casas, quintas, pedreiras, fornos de cal e moinhos. Em 1768, o Marquês de Pombal instalou, na Horta da Quinta de Cima, o Jardim Botânico. Foi também por volta dessa altura, entre 1766 e 1787, que Pina Manique mandou construir o Cemitério da Ajuda, onde eram enterrados os criados da Casa Real. A Real Barraca que outrora tinha sido a residência da família real foi substituída por um enorme palácio – o Palácio Nacional da Ajuda. As obras tiveram início em 1795, mas tiveram de ser interrompidas devido às Invasões francesas, que obrigaram a família real a fugir para o Brasil. Foi terminado em meados do século XIX, tendo sido a residência do rei D. Carlos.À semelhança de outras freguesias de Lisboa, também a Ajuda fez parte, entre 1852 e 1885, do Concelho de Belém tendo depois sido reinserido em Lisboa. Atualmente a Ajuda tem vindo a perder população devido à crescente tendência da população se deslocar para a periferia da capital. A freguesia tem um património rico e variado fruto das muitas gerações que por lá passaram. Clique Aqui e conheça o que há para visitar em AJUDA.

ALCÂNTARA

ALCÂNTARA

Desde cedo, que no território que hoje forma a freguesia de Alcântara apareceram indícios de ocupação humana. Alguns utensílios de pedra lascada foram encontrados nas margens da ribeira de Alcântara que datam dos tempos do Paleolítico. Também foram achados sinais dos períodos do Neolítico e do Calcolítico na zona do Alvito e da Tapada da Ajuda. Por volta do ano de 1300 a.C. instalou-se em Alcântara um povoado da Idade do Bronze constituído principalmente por agricultores e pastores, cuja economia se baseava na produção de cereais e gado bovino. Aquando da ocupação romana, o local foi baptizado de Horta Navia segundo uma divindade indígena romanizada – Nabia. Desse tempo chegam aos dias de hoje um túmulo, na Tapada da Ajuda, e também uma ponte sobre a ribeira de Alcântara, que mais tarde, com a ocupação Muçulmana, veio dar o nome à terra e à ribeira. Clique Aqui e conheça o que há para visitar em ALCÂNTARA.

ALVALADE

ALVALADE

Alvalade é uma freguesia portuguesa do concelho de Lisboa, pertencente à Zona Centro da capital,1 com 5,34 km² de área2 e 31 813 habitantes.3 Densidade: 5 957,5 hab/km². Foi uma das 12 freguesias criadas pela reorganização administrativa da cidade de Lisboa de 7 de fevereiro de 1959, por desanexação da freguesia de Campo Grande.4 Na sequência da reorganização administrativa de 2012,5 que entrou em vigor após as eleições autárquicas de 2013, a freguesia viu o seu território aumentar 10 vezes e a sua população quase quadruplicar, ao absorver a quase totalidade das muito maiores antigas freguesias do Campo Grande e de São João de Brito, para além de pequenas parcelas de território anteriormente pertencentes às freguesias de Marvila, São Domingos de Benfica e São João de Deus (esta última extinta). Clique Aqui e conheça o que há para visitar em ALVALADE.

AREEIRO

AREEIRO

Areeiro é uma freguesia portuguesa do concelho de Lisboa, pertencente à Zona Centro da capital, com 1,74 km² de área e 20 131 habitantes. Densidade: 11 569,5 hab/km². Tem a sua sede em São João de Deus. Foi criada no âmbito da reorganização administrativa de Lisboa de 2012, que entrou em vigor após as eleições autárquicas de 2013, resultando da agregação da antiga freguesia de São João de Deus com a quase totalidade do território da antiga freguesia do Alto do Pina. Clique Aqui e conheça o que há para visitar no AREEIRO.

ARROIOS

ARROIOS

Foi criada no âmbito da reorganização administrativa de Lisboa de 2012, que entrou em vigor após as eleições autárquicas de 2013, resultando da agregação das antigas freguesias de São Jorge de Arroios e Pena com a quase totalidade do território da antiga freguesia dos Anjos, para além de uma pequena parcela de território anteriormente pertencente à extinta freguesia de São José. Clique Aqui e conheça o que há para visitar no ARROIOS.

AVENIDAS NOVAS

AVENIDAS NOVAS

Avenidas Novas é uma freguesia portuguesa do concelho de Lisboa, pertencente à Zona Centro da capital, com 2,99 km² de área e 21 625 habitantes. Densidade: 7 232,4 hab/km². Foi criada no âmbito da reorganização administrativa de Lisboa de 2012, que entrou em vigor após as eleições autárquicas de 2013, resultando da agregação das antigas freguesias de Nossa Senhora de Fátima e São Sebastião da Pedreira, para além de uma pequena parcela de território anteriormente pertencente à freguesia de Campolide. Clique Aqui e conheça o que há para visitar em AVENIDAS NOVAS.

BEATO

BEATO

Beato é uma freguesia portuguesa do concelho de Lisboa, pertencente à Zona Oriental da capital, com 2,46 km² de área2 e 12 737 habitantes (2011).3 Densidade: 5 177,6 hab/km². A freguesia, inicialmente denominada São Bartolomeu do Beato, foi criada em 1756, por desanexação de Santa Maria dos Olivais. Clique Aqui e conheça o que há para visitar em BEATO.

BELÉM

BELÉM

Belém é uma freguesia portuguesa do concelho de Lisboa, pertencente à Zona Ocidental da capital, com 10,43 km² de área e 16 528 habitantes. Densidade: 1 584,7 hab/km². Belém está ligada aos Descobrimentos, quando D. Manuel I subiu ao trono em 1495. Tem a sua sede em Santa Maria de Belém. Hoje, Belém contém vários espaços verdejantes com museus, parques e jardins, possuindo um atraente ambiente ribeirinho com cafés e um passeio público. Clique Aqui e conheça o que há para visitar em BELÉM.

BENFICA

BENFICA

Benfica é uma freguesia portuguesa do concelho de Lisboa, pertencente à Zona Norte da capital, com 8,03 km² de área e 36 985 habitantes (2011). Densidade: 4 605,9 hab/km². Benfica engloba cerca de dois terços do grande “pulmão verde” da capital portuguesa, o Parque Florestal de Monsanto. Benfica começou por ser uma aldeia de camponeses da região saloia. Com eles também algumas ordens religiosas se instalaram no território. No século XV foi promovida a sede de julgado do Termo de Lisboa, sendo-lhe concedidos dois juízes privativos. Foi também nessa altura que se fixaram três importantes Irmandades: Nossa Senhora do Amparo, Santo António e São Sebastião. No século XVIII começou a registar-se uma forte atracção de novas classes abastadas, seduzidas pela paisagem, que se instalam em quintas. No século XIX aparecem as ligações com transportes públicos e assiste-se ao crescimento exponencial da cidade. Com a extinção do Termo de Lisboa em 1852, o território de Benfica é primeiro integrado no novo concelho de Belém e, mais tarde, em 1886, é dividido. A parte exterior à nova Estrada da Circunvalação de Lisboa é integrada em Oeiras (e actualmente na Amadora) e a parte interior é integrada em Lisboa, dando origem à actual freguesia. A cidade continuou a crescer velozmente, o que se reflectiu na crescente urbanização da freguesia. Da década de 1950 até à década de 1990 do século XX, a população triplicou de 17 843 habitantes para cerca de 50 000 habitantes. Em 1959 o território divide-se novamente e dá origem à freguesia de São Domingos de Benfica. Mais recentemente, a par da crescente edificação assiste-se ao decréscimo da população residente, não só pelo envelhecimento mas também pela migração dos habitantes mais jovens para a periferia. Clique Aqui e conheça o que há para visitar em BENFICA.

CAMPO DE OURIQUE

CAMPO DE OURIQUE

Campo de Ourique é uma freguesia portuguesa do concelho de Lisboa, pertencente à Zona do Centro Histórico da capital, com 1,65 km² de área e 22 120 habitantes (2011). Densidade: 13 406,1 hab/km². A freguesia de Campo de Ourique foi criada no âmbito da reorganização administrativa de Lisboa de 2012, que entrou em vigor após as eleições autárquicas de 2013, resultando da fusão das anteriores freguesias de Santa Isabel e do Santo Condestável. Até à criação da freguesia, “Campo de Ourique” referia-se apenas ao bairro homónimo da cidade de Lisboa. Encontra-se no coração da cidade, entre as Amoreiras, a Estrela e os Prazeres. Trata-se de um bairro residencial, mas com uma vocação para o comércio muito forte e antiga. Campo de Ourique é um bairro com vida própria, parece uma pequena cidade dentro da Grande Lisboa. É apontado frequentemente como o bairro mais pacífico da cidade de Lisboa e aquele que reúne as melhores condições de vida, diferenciando-se de outras zonas urbanas que dependem excessivamente de Centros Comerciais. Os dias úteis e o fim de semana parecem não se distinguir entre si, pois o movimento pacato e paradoxalmente dinâmico das gentes atravessa o bairro todos os dias da semana com o mesmo ritmo.  Clique Aqui e conheça o que há para visitar em CAMPO DE OURIQUE.

CAMPOLIDE

CAMPOLIDE

Campolide é uma freguesia portuguesa do concelho de Lisboa, pertencente à Zona Centro da capital, com 2,77 km² de área e 15 460 habitantes (2011). Densidade: 5 581,2 hab/km². Foi uma das 12 freguesias criadas pela reforma administrativa da cidade de Lisboa de 7 de fevereiro de 1959, por desanexação da freguesia de São Sebastião da Pedreira. A freguesia manteve-se com a reforma administrativa de 2013, apesar de alguns ajustes administraticos. Os seus limites confrontam: a sul — Autoestrada A 5, Avenida do Engenheiro DuartePacheco; a nascente — Rua de Artilharia Um, Rua do Marquês de Fronteira, limite nascente do Parque Ventura Terra, Rua do Dr. Júlio Dantas, Praça de Espanha; a norte — Praça de Espanha, Avenida de Columbano Bordalo Pinheiro, Praça do General Humberto Delgado, Eixo Norte -Sul, Rua de Francisco Gentil Martins, Estrada da Serafina; a poente — Estrada da Serafina, Caminho das Pedreiras. Clique Aqui e conheça o que há para visitar em CAMPOLIDE.

CARNIDE

CARNIDE

No séc. I, existiam, no território que hoje forma a freguesia de Carnide, várias explorações agrícolas que garantiam o abastecimento das povoações aí existentes. No séc. IV começou-se a registar o primeiro aumento de população, isto devido à construção de uma nova igreja e de um hospital (Hospital da Luz, actualmente Colégio Militar). A freguesia terá sido formada em 1279. A fama de ter bons ares, levou a que se fixassem em Carnide alguns nobres, que dinamizaram a economia local. Essa tendência prolongou-se até ao séc. XVI, altura em que Carnide se tornou aldeia, localizada entre a Igreja da Luz e a Igreja de São Lourenço. A freguesia, no séc. XVIII, era constituída fundamentalmente por dois núcleos construídos, Carnide e Luz. A Luz era, no séc. XVIII, um importante pólo de atracção na freguesia de Carnide. Aí, realizavam-se feiras e romarias que traziam ao local muitos visitantes durante os meses de Verão. As procissões e romarias da Nossa Senhora da Luz eram grandes acontecimentos, nos quais até a nobreza participava. Em 1852, a freguesia de Carnide foi integrada no recém criado Concelho de Belém. Trinta e três anos mais tarde, em 1885, voltou a fazer parte do Concelho de Lisboa. Durante esse período, procederam-se a obras de urbanização no Largo da Luz, e de melhoramento das vias pública da freguesia. No final do séc. XIX, a construção de duas fábricas de cerâmica no arredores das povoações, e ainda a instalação de unidades fabris em freguesias vizinhas, dinamizaram a economia e fomentaram a fixação de operários em Carnide. Onde nessa época estava a Quinta dos Inglesesinhos, uma comunidade de frades católicos irlandeses, ergue-se desde 1983 a Escola Secundaria de Vergílio Ferreira. No séc. XX, os hábitos agrícolas aliados ao êxodo rural deixaram ao abandono muitas quintas. Decorre desse facto o início da urbanização intensa na zona. Carnide sempre fora uma freguesia onde a aristocracia estava misturada como as camadas sociais mais desfavorecidas. Actualmente Carnide tem zonas mais antigas e zonas mais modernas. Clique Aqui e conheça o que há para visitar em CARNIDE.

ESTRELA

ESTRELA

Estrela é uma freguesia portuguesa do concelho de Lisboa, pertencente à Zona do Centro Histórico da capital, com 4,60 km² de área e 20 128 habitantes (2011). Densidade: 4 375,7 hab/km². Foi criada no âmbito da reorganização administrativa de Lisboa de 2012, que entrou em vigor após as eleições autárquicas de 2013, resultando da agregação integral das antigas freguesias da Lapa, Prazeres e Santos-o-Velho. Clique Aqui e conheça o que há para visitar em ESTRELA.

LUMIAR

LUMIAR

Foi criada em 2 de abril de 1266. Em 1312, D. Dinis efectua a partilha dos bens do Conde de Barcelos, ficando para D. Afonso Sanches, seu filho bastardo e genro do Conde, uma quinta e casa de Campo no Lumiar, a que se passou a chamar Paços do Infante D. Afonso Sanches. No reinado de D. Afonso IV, esta residência nobre adquire a designação de Paço do Lumiar, a qual ainda hoje se mantém. No inicio do séc. XVIII, era definido o Lumiar como “um sítio de nobres quintas, olivais e vinhas”, sendo os principais frutos da terra o vinho, o trigo, a cevada e o azeite. Em meados do séc. XIX, realizavam-se no Lumiar três feiras anuais (Fevereiro, Junho e Agosto), todas muito concorridas, especialmente a de Santa Brígida, em que havia romaria e bênção do gado. De 1852 a 1886, esta freguesia esteve integrada no concelho dos Olivais, sendo finalmente incorporada no território da Cidade de Lisboa, em 18 de julho de 1885. Desde os princípios do séc. XIX que a população da freguesia tem tido progressivo aumento. No séc. XX, assiste-se na freguesia a um forte aumento populacional – 2.840 habitantes em 1900 para mais de 30.000 em 2000, tendo a antiga aldeia perdido, nas últimas décadas, quase definitivamente as suas características, com os diversos parques habitacionais. A grande aposta actual é o bairro da Alta de Lisboa. Foi inaugurado, no dia 10 de Outubro de 2007, o último troço do eixo norte-sul, facilitando o trânsito de toda a capital portuguesa. A freguesia do Lumiar é servida pelo parque recreativo Quinta das Conchas e dos Lilases. Clique Aqui e conheça o que há para visitar em LUMIAR.

MARVILA

MARVILA

O sítio de Marvila, tão velho quanto a fundação da nacionalidade, é dos bairros mais típicos da zona oriental da cidade de Lisboa. Até ao século XIX, sucediam-se agradáveis quintas nesta vasta zona de Lisboa e era grande a fertilidade das terras banhadas pelo Tejo. Era, até há pouco tempo, uma freguesia essencialmente rural, onde proliferavam as quintas e as hortas. Ainda hoje, os exemplos são fáceis de detectar: a Quinta dos Ourives, a da Rosa, a das Flores, a das Amendoeiras, a do Leal, a do Marquês de Abrantes… Estas propriedades eram exploradas, na sua maioria, por gentes originárias do norte do País e abasteciam os mercados ambulantes, espalhados pelo bairro, pela vizinhança e, mais tarde, por toda a Capital. Ao antigo mercado da Praça da Ribeira, a mercadoria chegava transportada por carroças. Essa população originária do norte trouxe muitos dos seus hábitos e costumes, nomeadamente, a Feira da Espiga, que poderá ter origem num costume dos hortelões nortenhos. Mas de zona rural, Marvila transformou-se, com o passar dos anos, em zona urbana de fisionomia bairrista e fabril. Todavia, ainda hoje se vêem vestígios de uma grande actividade hortícola. O palácio do Marquês de Abrantes, na rua de Marvila, ou o da Mitra, na rua do Açúcar, são verdadeiros exemplares dos vários solares que ali foram edificados. Também os monumentos de carácter religioso abundavam, como o antigo Mosteiro de Marvila. No século XX, continuou a instalação de unidades fabris desde a rua do Açúcar até Braço de Prata. São deste período as tanoarias da rua Capitão Leitão e os armazéns de vinhos de Abel Pereira da Fonseca (que, pouco antes de morrer disse a seus descendentes “enquanto o Tejo tiver água, nunca deve faltar vinho a Lisboa”). Hoje, estes armazéns estão transformados em centros culturais. A actual Marvila, freguesia criada pelo Dec.-Lei 42.142 de 7 de Fevereiro de 1959, é bem significativa da zona periférica de uma grande cidade europeia em franco crescimento. Beneficiou, consideravelmente, com a realização do grande evento que foi a Expo 98. O seu padroeiro é Santo Agostinho. A Junta de Freguesia de Marvila é situada na Avenida João Paulo II, ao lado da 16ª Esquadra da “Zona J” de Chelas. Tem um sítio na Internet e um jornal mensal e gratuito para todos os habitantes de Marvila. Clique Aqui e conheça o que há para visitar em MARVILA.

MISERICÓRDIA

MISERICÓRDIA

Misericórdia é uma freguesia portuguesa do concelho de Lisboa, pertencente à Zona do Centro Histórico da capital, com 2,19 km² de área e 13 044 habitantes. Densidade: 5 956,2 hab/km². Foi criada no âmbito da reorganização administrativa de Lisboa de 2012, que entrou em vigor após as eleições autárquicas de 2013, resultando da agregação das antigas freguesias da Encarnação, Mercês, Santa Catarina e São Paulo, para além de uma pequena parcela de território anteriormente pertencente à antiga freguesia de Santa Justa. Clique Aqui e conheça o que há para visitar em MISERICÓRDIA.

OLIVAIS

OLIVAIS

Olivais, antiga Santa Maria dos Olivais, é uma freguesia portuguesa do município de Lisboa, pertencente à Zona Oriental da capital, com 8,09 km² de área e 33 788 habitantes (2011).4 Densidade populacional: 4 177,5 habitantes/km². Mesmo após a perda do território do Parque das Nações, continua a ser uma das maiores freguesias da cidade de Lisboa. A freguesia inclui-se na zona oriental da cidade, dividindo-se em três regiões: Olivais Norte, Olivais Velho e Olivais Sul, que por sua vez se subdividem em diversos bairros. A freguesia limita a norte com as freguesias de Moscavide e Portela, Sacavém e Prior Velho e Camarate, Unhos e Apelação (todas do concelho de Loures), a este com a freguesia do Parque das Nações, a sul com Marvila e Alvalade, a oeste com o Lumiar, e a noroeste com Santa Clara. Grande parte do território ocidental da freguesia é ocupado por parte do Aeroporto de Lisboa-Olivais, incluindo a sede da TAP Portugal (Edifício 25, Aeroporto da Portela). Clique Aqui e conheça o que há para visitar em OLIVAIS.

PARQUE DAS NAÇÕES

PARQUE DAS NAÇÕES

Foi criada no âmbito de uma reorganização administrativa oficializada a 8 de novembro de 20124 , que entrou em vigor após as eleições autárquicas de 2013, resultando da agregação de parte da antiga freguesia de Santa Maria dos Olivais, do concelho de Lisboa, com parte das freguesias de Moscavide e Sacavém, ambas do concelho de Loures. A criação da freguesia do Parque das Nações resultou, por isso, num aumento da área do concelho de Lisboa em cerca de 1,87 km², e igual diminuição da do concelho de Loures, pela transferência de Loures para Lisboa do território situado entre a linha do caminho-de-ferro e o rio Tejo, e entre a antiga linha divisória dos concelhos e o rio Trancão. Parque das Nações foi a designação dada ao bairro surgido na antiga Zona de Intervenção da Expo, que inclui o local onde foi realizada a Exposição Mundial de 1998 e ainda todas as áreas que estiveram sob administração da ParqueExpo, S.A. Esta área tornou-se, entretanto, um centro de atividades culturais e um novo bairro da cidade, com várias instituições culturais e desportivas próprias. Clique Aqui e conheça o que há para visitar em PARQUE DAS NAÇÕES.

PENHA DE FRANÇA

PENHA DE FRANÇA

Penha de França é uma freguesia portuguesa do concelho de Lisboa, pertencente à Zona do Centro Histórico da capital, com 2,71 km² de área e 27 967 habitantes. Densidade: 10 319,9 hab/km². Foi criada por decreto de 13 de abril de 1918, com áreas cedidas pelas freguesias do Beato, Santa Engrácia e São Jorge de Arroios. O nome da freguesia advém da sua padroeira, Nossa Senhora da Penha de França. Com a reorganização administrativa da cidade de Lisboa de 7 de fevereiro de 1959, a sua área foi reduzida, o que contribuiu para a criação das freguesias de São João e Alto do Pina. Na sequência da reorganização administrativa de 2012, que entrou em vigor após as eleições autárquicas de 2013, a freguesia quase quadruplicou a sua área e mais do que duplicou a sua população, reincorporando o território da antiga freguesia de São João e uma pequena faixa de território anteriormente pertencente à freguesia do Beato. Clique Aqui e conheça o que há para visitar em PENHA DE FRANÇA.

SANTA CLARA

SANTA CLARA

Santa Clara é uma freguesia portuguesa do concelho de Lisboa, pertencente à Zona Norte da capital, com 3,36 km² de área e 22 480 habitantes. Densidade: 6 690,5 hab/km². Foi criada no âmbito da reorganização administrativa de Lisboa de 2012, que entrou em vigor após as eleições autárquicas de 2013, resultando da agregação da antiga freguesia da Ameixoeira com a quase totalidade da antiga freguesia da Charneca, para além de parcelas de território anteriormente pertencentes às freguesias do Lumiar e de Santa Maria dos Olivais. Clique Aqui e conheça o que há para visitar em SANTA CLARA.

SANTA MARIA MAIOR

SANTA MARIA MAIOR

Santa Maria Maior é uma freguesia portuguesa do concelho de Lisboa, pertencente à Zona do Centro Histórico da capital, com 3,01 km² de área e 12 822 habitantes. Densidade: 4 259,8 hab/km². Foi criada no âmbito da reorganização administrativa de Lisboa de 2012, que entrou em vigor após as eleições autárquicas de 2013, resultando, com pequenas diferenças, da agregação de 12 pequenas freguesias (incluindo as, até então, 9 mais pequenas freguesias de Portugal). Clique Aqui e conheça o que há para visitar em SANTA MARIA .

SANTO ANTÔNIO

SANTO ANTÔNIO

Santo António é uma freguesia portuguesa do concelho de Lisboa, pertencente à Zona Centro da capital, com 1,49 km² de área e 11 836 habitantes. Densidade: 7 943,6 hab/km². Foi criada no âmbito da reorganização administrativa de Lisboa de 2012, que entrou em vigor após as eleições autárquicas de 2013, resultando da agregação das antigas freguesias de São Mamede e Coração de Jesus com a quase totalidade da antiga freguesia de São José. Clique Aqui e conheça o que há para visitar em SANTO ANTÔNIO.

SÃO DOMINGOS DE BENFICA

SÃO DOMINGOS DE BENFICA

São Domingos de Benfica é uma freguesia portuguesa do concelho de Lisboa, pertencente à Zona Norte da capital, com 4,29 km² de área e 33 043 habitantes (2011). Densidade: 7 702,3 hab/km². Foi uma das 12 freguesias criadas pela reorganização administrativa da cidade de Lisboa de 7 de fevereiro de 1959, por desanexação de áreas das freguesias de Benfica e São Sebastião da Pedreira. Clique Aqui e conheça o que há para visitar em SÃO DOMINGOS DE BENFICA.

SÃO VICENTE

SÃO VICENTE

São Vicente é uma freguesia portuguesa do concelho de Lisboa, pertencente à Zona do Centro Histórico da capital, com 1,99 km² de área e 15 339 habitantes. Densidade: 7 708 hab/km². Foi criada no âmbito da reorganização administrativa de Lisboa de 2012, que entrou em vigor após as eleições autárquicas de 2013, resultando da agregação das antigas freguesias de Graça, São Vicente de Fora e Santa Engrácia. Clique Aqui e conheça o que há para visitar em SÃO VICENTE.


Sobre Oi Portugal

Check Also

Parque Urbano de Albarquel recebe a festa Design Café

No próximo sábado, dia 1 de julho, o Parque Urbano de Albarquel recebe a festa …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *