garantia de lucratividade em Portugal

Mercado Imobiliário em Portugal – garantia de alta lucratividade?

Recentes artigos de grandes jornais portugueses (Jornal Público e Diário de Notícias) têm provocado algumas dúvidas em nossos seguidores que nos perguntam se ” Rendimento alto ?, se o mercado está em crescimento?, etc ”

Primeiramente é preciso ter conhecimento de mercado e legislações. Em nosso site ,há pelo menos 2 anos, temos na janela Morar em Portugal publicado diversos artigos alertando sobre fraudes, actualizações de legislações, mercado de aluguéis( arrendamentos), Visa Gold (SEF legislação Visto Dourado).

Portanto gostaríamos , em meio a tantas informações e algumas lacunas, esclarecer alguns pontos:

1 – Mercado de arrendamento( aluguéis de curta duração)

devido a grande impacto de plataformas de aluguéis de curta duração ( Airbnb , booking.com, etc.) começou a haver grande procura de imóveis para alugar para turistas, com retornos bem altos dada a ausência de legislação específica. Moradores de Lisboa, sub-locavam seus imóveis e iam para a periferia morar por 3-4 meses. Várias empresas e particulares compraram imóveis e puseram neste mercado. Estas plataformas cobrava 10-15% e o resto era lucro, pois a legislação vigente não acompanhara o mercado.  Uma grande confusão começou a se verificar, condomínios sendo contrários a esta prática( encarecendo manutenção de elevadores, p. ex.) e o governo regulamentou este tipo de arrendamento tendoagora que ser autorizado por assembléia de condôminos do prédio e , o estado cobra 35%  de imposto sobre o valor da estadia bruta. Fazendo as contas com limpezas, avarias, manutenção em geral,etc. houve um “pé-no-freio”.  Bom para o “lobby” dos hotéis e hostels. Em diversos países da Europa, este tipo de legislação está em discussão. Actualmente , em Portugal, já se discute também a implementação de taxas municipais para este tipo de aluguel( arrendamento- “short renting”) e taxa extra do próprio condomínio, diminuindo ainda mais rendimentos deste negócio. Em alguns países membros da UE, está havendo sugestão de legislação única. Alguns sugerindo um limite de arrendamento de 2 meses em cada ano( 12 meses) ou arrendamento de apenas quartos “extras”, não podendo o morador se ausentar da sua casa.

Os aluguéis de longa duração têm realmente aumentado de valores sensivelmente e neste caminhar, Lisboa brevemente se tornará uma capital como Londres, Paris ou Amsterdã em que os cidadão do oriundos da capital não conseguirão viver na capital tal o elevado custo de aluguel. Portanto para investidores, uma garantia de rendimentos em moeda forte.

2- Mercado de compra e venda de imóveis

conhecemos imóveis comprados em Portugal há 25 anos e o valor continua o mesmo( interior de pequenas vilas que podem estar a 50 km de um grande centro). Conhecemos também imóveis comprados há 1 ano, remodelado( reformado) e vendido com margens líquidas de lucro acima dos 200%.  Mas não se iludam que a “galinha dos ovos de ouro” começa a ser difícil de se encontrar, principalmente nos grandes centros. Nas periferias de “bom nível” junto ao Porto, Coimbra e Lisboa encontram-se os bons negócios actualmente( alta rentabilidade).

3 – Há uma expectativa não de bolha imobiliária,

pois Lisboa está na “moda”, pelas qualidades salientadas nos artigos supracitados e os valores de imóveis ainda têm muito potencial de crescimento( ao se comparar com outras capitais européias), entretanto, um grande impulso de vendas recentes de imóveis esteve atrelado à aquisição do Visto Gold. Nesta legislação de 2012, atribuiu-se visto de residência para milhares de estrangeiros e na legislação prevê-se que os imóveis só poderiam ser vendidos após 5 anos de aquisição. Espera-se que agora e até 2020 ( quando completam 5 anos de compra de grande número de imóveis) haverá uma grande oferta de novos imóveis no mercado. Esta maior oferta poderia provocar ligeira queda de valores. Muitos investidores chineses, árabes, americanos queriam apenas o visto gold e não o imóvel e voltarão a disponibilizar no mercado esses imóveis. Portanto, para investimento de curto prazo, pode haver algum revés ou minimamente a diminuição de expectativas.

4 – Imóveis são investimentos de médio e longo prazo.

Tenha em mente que tais investimentos só são interessantes se não prejudique o objectivo principal de sua vida. Vender um único imóvel para “tentar” a vida em Portugal e se não der certo voltar (dentro de 5 anos) pode ser uma grande derrocada na vida. Neste caso, talvez melhor pensar em algo menos drástico como alugar seu imóvel no Brasil e tentar viver numa periferia bem agradável em Portugal.

Caso tenham dúvidas podem questionar-nos por email ou solicitar uma apoio mais detalhado de consultoria.

Continuem a nos seguir no  facebook Página OiPortugal , no  Grupo OiPortugal , Site OiPortugal

e Instagram OiPortugal no Instagram

 

 

 

 



Check Also

Equivalência de diplomas de ensino médio – Como Obter?

Muito se fala de obtenção de equivalência e Reconhecimento de diplomas universitários. No Brasil mais …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *