Emprego em Portugal afinal é fácil ou difícil?

Muitos perdem tempo em discussões infindáveis na internet assegurando que há muita facilidade de trabalho em Portugal e outros a teimam em assegurar que está muito difícil e cada qual com suas argumentações.

Tenho experiência de familiares que não conseguem emprego em Portugal por não quererem ou já não poderem aceitar trabalho braçal que muitas vezes é o que sobra, principalmente para quem não se actualizou, não terminou um curso superior, não tem conhecimento de língua estrangeira ou não aprendeu uma profissão adequada para os dias de hoje.

Vamos apenas elencar algumas “realidades” de Portugal:

1 – há 10-20 anos, brasileiros conseguiam trabalhar facilmente em restaurantes e vendedores de loja. A natural simpatia dos brasileiros foi contaminante e dominaram este mercado na época. Hoje em dia, as lojas e restaurantes em centros turísticos como Lisboa e Porto exigem conhecimento de língua estrangeira e infelizmente a formação de muitos brasileiros não se adequa mais a este mercado. O que mais se encontram são indianos como garçons e que falam 5 ,6 idiomas fluentemente. Para quem não tem tais qualificações, restam os pequenos vilarejos que vivem de clientela local.

2 – existem nichos de mercado em Portugal com grande carência de mão-de-obra, por exemplo a área de informática, TI pela recente migração de empresas europeias na área para Portugal. Há já também empresas inglesas vindo para Portugal ( custos, BREXIT) empregando nesta área e telemarketing.

3 – sobram empregos que os portugueses não querem ou seja : jardineiros, agricultores, serviços de limpeza, obras e pinturas por rapel, cuidadores de idosos, etc. Por que portugueses não querem ? Pois para fazer trabalho braçal, preferem ir para Suiça, Alemanha, Luxemburgo e França onde poderam ganhar 3,4,5 vezes o salário daqui. Simples aritmética.

4 – Na última década houve um boom de bacharelados e  “licenciaturas” , muitas delas cursos de 3 anos, e com diferentes formações que muitas vezes não existem vagas de trabalho. Conheço um restaurante/ café em que TODOS os empregados de balcão e que atendem às mesas têm curso superior e falam 1,2 ou 3 línguas estrangeiras. Muitos ganhando salário mínimo(engenheiros inclusive). Se você tem formação básica e tentar esta área, a concorrência pode ser desleal.

5 – uma das áreas que ainda contratam muito também são os “telemarketing” mas com trabalhos temporários, em sua maioria e a língua pode ser uma dificuldade.

6 – portugueses em dificuldade em Portugal, continuam migrando para outros países da UE pois conseguem juntar algum dinheiro. Enfermeiros e médicos são dos que mais emigram neste momento devido aos baixos salários em Portugal. Há médicos que fazem urgências de 3 dias seguidos em Londres e recebem o equivalente a um mês de salário em Portugal. Em contra-partida, muitos médicos e enfermeiros vêm do leste europeu para Portugal suprindo as vagas e fugindo de baixos salários ou questões políticas de Ucrânia, Roménia, Moldávia, Bulgária, etc.

7 – cada vez na comunidade européia é mais difícil viver na ilegalidade. Aperta-se o cerco ao caixa 2,cada vez mais difícil ver venda ambulante, camelôs ou venda de produtos na praia como nos habituamos ainda a ver no Brasil. Esta realidade precisa ser divulgada para que iludidos não venham “se arriscar” . Claro que sempre há quem faça bolos em casa, salgadinhos e “se vira” até vir uma denúncia e depois é um degringolar de chatices. Actualmente aqui, uma padaria se vende e distribui pão em diferentes mercados, deve registrar nota fiscal de cada pãozinho que sai do carro em tempo real ( leva máquina de venda no carro). Já vi caso de padeiro ser multado por haver diferença de 5 pãezinhos no seu carro. O dono da padaria , claro, ficará muito chateado se pessoas sem empregados, sem impostos, sem contas fixas de softwares lhe tirarem fregueses fazendo pão em casa. É o natural interessado em denunciar toda essa irregularidade e com total razão. Actualmente, mesmo vender ovos de galinha caseiro é proibido ! Na área de alimentos então, existem regras de saúde pública e vigilância sanitária da união europeia bem sérias. Se alguém aparecer com uma simples diarréia num hospital, o médico se desconfiar de intoxicação alimentar é obrigado a denunciar à saúde pública que poderá investigar com devidas consequências para responsáveis.

Portanto, se perguntar a um cidadão comum sem conhecimento de mercado, que está desempregado ou que tem um filho desempregado mesmo com curso superior, sua reacção inicial normalmente é refutar qualquer aumento de imigração estrangeira no país. Movimentos nacionalistas de extrema direita, vira-e-mexe se levantam na Europa. Não tem este, muitas vezes a noção de que numa população envelhecida, com taxas de natalidade algumas vezes quase negativas( morre-se mais do que nascem) o sistema de seguridade necessita de aumento grande de  número de imigrantes jovens  no país para que não quebre o sistema. Assim cresceu a Alemanha com os turcos após a segunda guerra mundial. E tenham filhos ! E claro que qualquer país actualmente , podendo seleccionar imigrantes, dará preferências a quem traga investimentos ou qualificações em falta para gerar mais empregos.

Lembro da Austrália há uns anos dar prioridade de pontuação para casais com filhas ou mulheres solteiras tal a supremacia de homens em sua população. Cada qual com suas dificuldades.

Portanto, com relação a imigração em Portugal, é crime incentivar, ajudar ou fomentar qualquer forma de imigração ilegal.

Dentro da legalidade, procure o máximo de informação sobre suas qualificações , actualizações e novas tecnologias. Encare a imigração como algo difícil em qualquer país principalmente se você não tiver qualificações distintas a de um cidadão local. Pergunte-se sempre porque um empregador o iria preferir em detrimento de um cidadão local, com as mesmas qualificações? Faça esta auto-crítica antes de se vitimizar ou reclamar de “preconceitos”. Paternalismos, só em nossa própria casa.

Aqui escrevemos apenas algumas observações sem busca seleccionada em cada sector da economia, algo que fazemos em um trabalho de consultoria. Pesquise e faça um bom planejamento.

Finalmente queria deixar uma reflexão: ” Lembre-se que na parábola do filho pródigo, Jesus deixou o ensinamento do filho que sai e conquista a VIDA. Mas também ensina a inveja do outro filho, que não teve festa do pai mesmo estando ao seu lado ao tempo inteiro. Pelo “medo” , não foi em busca da VIDA”. Sempre teremos pessoas a nos puxar para frente e para cima mas teremos os “invejosos ou temerosos” a nos segurar lá atrás. Mas a escolha é sempre nossa a quem devemos ouvir mais. E ambos os conselhos são importantes e cabe saber, qual alimentar mais!

Boa sorte


Sobre Paulo Costa

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *