Valores de imóveis começam a cair e podem descer ainda mais !

Após o crescimento de vendas e aumento dos valores de imóveis apresentados no final de 2015 e início de 2016, o mês de Março já está apontando para uma descida de preços. O site IMOVIRTUAL aponta para (-6%) em alguns bairros de Lisboa. Conforme anunciáramos em  artigo anteriores, (leia –>Subida preços de Imóveis), tal subida deveu-se a uma fuga de investidores ( principalmente portugueses) de depósitos acima de 100.000 euros nos bancos. Agora, com a passagem deste “frenesi”, os valores dos imóveis voltam a ficar mais ajustados ao mercado. Entretanto, espera-se que haja ainda este ano uma forte oferta de imóveis postos à venda pela Caixa Económica Montepio Geral (leia –>Caixa Montepio Geral), que pretende vender este ano 1,3 mil milhões em créditos vencidos e imóveis.




É ficar atento as oscilações de moeda e valores de imóveis. Mas uma vez sugerimos ser bom investimento o ramo de imóveis nas grandes cidades portuguesas.

Porto e Lisboa mantém forte investimento de grupos estrangeiros no ramo de turismo, mas já há grupos internacionais comprando imóveis para arrendamento para estudantes junto a pólos universitários ( principalmente chineses).

O ramo de imóveis comerciais, muito mais específico e complexo. Salas comerciais podem ser uma grande engodo ( ouro de tolos). Existem novas legislações européias definindo instalações mínimas por ramo de actividade, dificultando arrendamento ou venda destes imóveis ( por exemplo legislação de 2014 para consultórios médicos que obriga diferentes números de banheiros e vestiário específico para funcionários e distinto o uso de banheiros para homens e mulheres) veja em–> Legislação consultórios médicos).  Uma determinada sala pode ser inviável ( por metragem diminuta), (por não ter acessibilidade a cadeirantes) , para ser disponibilizada para abertura de diferentes negócios que não sejam de uso apenas para uma pessoa, empresas virtuais ou que não tenham atendimento ao público.

Com relação a lojas comerciais, há que se ter muita atenção à dívidas pré-existentes dos negócios. Recomendamos fortemente consultar um “Solicitador” ( despachante) de confiança para averiguar toda a papelada e não cair em armadilhas.

Devido a inúmeros “golpes” com investidores chineses, actualmente existem advogados portugueses especializados em representá-los na intermediação de compra e venda. Não confiam nos mediadores portugueses( imobiliárias).

Respondemos com este pequeno artigo, inúmeras perguntas de nossos seguidores. Para maiores detalhes ou indicações de parcerias, queiram entrar em contacto por nosso site ou página.

Sorte e nos contactem para dirimir demais dúvidas.

 



About Paulo Costa

Check Also

Brasileiros em Portugal -“para voltar a caminhar de mãos dadas pelas ruas em PAZ” !

As estatísticas com relação a compra de imóveis, residência e migração de brasileiros a mudarem-se …

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.