Mercado Imobiliário a aquecer em Lisboa. Até se fala em “Invasão” !!!

“A grande invasão começou, e não foi hoje: O mercado imobiliário Português está quente e não é novidade para ninguém a cambalhota e reviravolta que se operou no setor imobiliário no último ano e meio.




Os investidores estão aí e vêm de todo o lado: EUA, França, UK, China, Brasil, Espanha, Alemanha, Líbano, Angola, Paquistão, Bélgica, Suécia, todos com muita liquidez e vontade de “comprar pedra” em Portugal.”,

clica em –>Grande Invasão

Escritórios e espaços comerciais:

“A um trimestre do fecho do ano, o nível de actividade no mercado de escritórios de Lisboa já superou a barreira dos 100.000 m². O Office Flashpoint da JLL apurou que, no acumulado entre Janeiro e Setembro de 2015, foram colocados 105.164 m² de espaço de escritórios em Lisboa, o que representa um crescimento de 37% face ao nível de actividade registado no final do 3º trimestre de 2014.
Em Setembro foram ocupados 35.330 m² de escritórios em Lisboa, representando não só o volume mensal mais elevado desde o início do ano, como também um crescimento de 162% em relação a Agosto e de 105% face ao mês homólogo de 2014. Pela sua dimensão, as operações de mudança de escritórios da EDP para a sua nova sede na avenida 24 de Julho e a mudança de instalações do Banco de Portugal para o centro da cidade foram determinantes para este crescimento tão acentuado, conclui a JLL.” clica em –>Diário Imobiliário

Casa própria e casas para arrendamento( aluguel):

“Os portugueses nunca deixaram de sonhar com a compra de casa mesmo nos últimos anos, quando os bancos colocaram fortes restrições aos interessados na aquisição de habitação. Contudo, esse desejo sempre foi prioritário para a maioria das famílias e a procura pela compra raramento foi suplantado pelo arrendamento, só em meses excepcionais.

Mas desde 2014 que a procura pela compra de imóvel voltou a subir e segundo os Estudos de Mercado da Associação das Empresas e Profissionais de Mediação Imobiliária de Portugal – APEMI, relativamente ao 2º trimestre deste ano, seguindo a tendência de meses anteriores, com a banca incentivando a concessão de créditos direcionados ao segmento residencial, verifica-se que cerca de 52% das pesquisas efetuados foram para a compra de imóvel, enquanto 44.9% direcionavam-se para o arrendamento e 2.9% destinadas a outra finalidade.

Em termos de valores para o arrendamento residencial, no âmbito da procura, as pesquisas efetuadas encerraram-se em 39.3% para valores inferiores a 300 euros, em 38.1% entre  300 a 500 euros e 13.3% dos casos entre 500 a 750 euros. Do lado da oferta, apenas 19.8 % dos imóveis no Portal CasaYes registaram valores iguais ou inferiores a 300 euros, 39.9% entre 300 e 500 euros e 14.9% valores compreendidos entre os 500 e 750 euros.

Ainda no âmbito nacional, tendo por ótica de análise o montante pesquisado na procura para compra, verifica-se que 19% direccionou-se para valores iguais ou inferiores a 75.000 euros, 30.1% entre  75.000 e 125.000 euros e 23.4% entre os 125.000 e os  175.000 euros. Em relação à oferta, verifica-se uma maior percentagem entre os 175.000 e os 250.000 euros (23.1%).

No referente à procura por tipo de imóvel, 50% das pesquisas direcionaram-se para apartamentos e 27.3% para moradias, enquanto 4.5% destinavam-se a outros imóveis. Por tipologia a procura continua segmentada, à semelhança da oferta, maioritariamente nos T2 e T3.” clica em–> Diário Imobiliário

 

Leia nossa publicação de Março de 2015 com alguns conselhos, clica–>Comprar imóveis em Portugal



About Paulo Costa

Check Also

Brasileiros em Portugal -“para voltar a caminhar de mãos dadas pelas ruas em PAZ” !

As estatísticas com relação a compra de imóveis, residência e migração de brasileiros a mudarem-se …

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.